A estratégia ganha-ganha

Você já ouviu falar em Equilíbrio de Nash? O termo pode parecer estranho ou até mesmo desconhecido para muitas pessoas, mas seu conceito e suas aplicações podem ser muito úteis quando lidamos com inovação em negócios.



Proposto pelo norte-americano John Nash, matemático responsável por diversas descobertas fundamentais nos campos da Teoria dos Jogos, Álgebras não-Lineares, entre outros, o Equilíbrio de Nash rendeu ao estudioso o Prêmio Nobel de Economia, em 1994. Aliás, sua história foi retratada no cinema no filme “Uma Mente Brilhante”.


O que é equilíbrio de Nash?


Segundo o conceito, o Equilíbrio de Nash simboliza a inalterabilidade em uma situação na qual, em um jogo com dois ou mais jogadores, nenhum jogador pode ganhar se mudar sua estratégia unilateralmente.


Isso significa que, se cada participante escolhe a sua melhor estratégia dentro de um jogo, então, entende-se que os mesmos jogadores não têm como melhorar suas estratégias sozinhos (pois já escolheram as melhores e os adversários também). Com isso, a estabilidade entre as estratégias escolhidas pelos jogadores é o que define um Equilíbrio de Nash.


No Equilíbrio de Nash todos ganham, pois cada um ganha de acordo com sua estratégia.

Explicando em palavras menos teóricas: o Equilíbrio de Nash busca determinar matemática e logicamente as melhores ações que o participante de um jogo pode tomar para garantir resultados positivos. No Equilíbrio de Nash todos ganham, pois cada um ganha de acordo com sua estratégia.



Equilíbrio de Nash e a Teoria dos Jogos


A Teoria dos Jogos é uma metodologia analítica para o estudo de situações onde haja interações e conflitos de interesses entre duas ou mais pessoas.


E por quê o Equilíbrio de Nash e a Teoria dos Jogos estão ligados? Porque o equilíbrio é um conceito de teoria dos jogos, aliás, um dos mais importantes, no qual o resultado ideal de um jogo é aquele em que nenhum dos jogadores sejam motivados a desviar de sua estratégia (melhor e inicial) escolhida.


Basicamente, essa estratégia é definida depois de o jogador analisar e considerar a estratégia de seus adversários. E para que essa escolha inicial não mude, é importante que ninguém receba benefícios ou incentivos extras ao longo do jogo.


O Equilíbrio de Nash se destaca dentro da Teoria do Jogos, uma vez que se relaciona com sua aplicabilidade. Por isso mesmo, esse é um conceito incorporado nas mais diversos ensinamentos, desde as Ciências Sociais até a Economia.



Aplicando o equilíbrio de Nash na economia


Como é de se esperar, esses conceitos matemáticos são (quase) sempre muito bem aplicados no mundo da economia. Por isso, não é surpresa que o Equilíbrio de Nash na economia seja uma forma de entender o mercado financeiro e ajudar nos investimentos.


O Equilíbrio de Nash ajuda os economistas a entenderem e descobrirem como as empresas definem seus preços, como o mercado pode variar, como os governos projetam seus investimentos, entre outras situações. Ou seja, basicamente, o conceito ajuda os especialistas a entenderem como o mercado funciona e, assim, prever quais as melhores estratégias para cada negócio.


É também fazendo uso do conceito de Equilíbrio de Nash que os economistas podem ajudar a evitar decisões muito erradas e, principalmente, que causem impactos terríveis em uma empresa ou na economia em geral. Como a ideia é que todos saiam ganhando, as soluções de acordo com o Equilíbrio de Nash nunca são vantajosas para um e ruins para outros, afinal, é um equilíbrio.



O dilema dos prisioneiros


Um dos exemplos mais conhecidos para explicar o Equilíbrio de Nash é chamado de “dilema dos prisioneiros”. Nele, dois suspeitos acusados do me