O uso do brainstorming e do brainwriting na inovação de negócios.

Criada em 1948 pelo publicitário Alex Osborn, o Brainstorming – ou “chuva de ideias” – é utilizado para propor soluções a um problema específico, ou para a criação de um novo produto ou projeto.

#curiosidade: Alex Osborn é a letra “O”, da rede de agências BBDO.

“Consiste em uma reunião na qual os participantes devem ter liberdade de expor suas sugestões e debater sobre as contribuições dos colegas, podendo explorar toda a capacidade criativa e intelectual individual ou do grupo.” Neil Patel

O importante, ao iniciar esse processo, é ter objetivos claros, mas deixar as ideias fluírem sem restrições ou julgamentos. Tudo o que é dito, é válido. E, justamente a diversidade de ideias que se complementam umas às outras, conduz até um o resultado final que costuma ser riquíssimo.

Para esta técnica ser realmente funcional, existem algumas adaptações. Aqui na Olhar, podemos dar o exemplo da atividade realizada em outubro, na empresa Sulcarbon, nosso cliente. Com um grupo formado por onze pessoas de áreas diversas da empresa, como o marketing, o RH, o setor de vendas, de produção e o administrativo nós demos início ao Comitê de Inovação da empresa.

Nós preparamos, dentro da própria empresa, um ambiente acolhedor, criativo, iluminado, com vista para a rua, para conduzirmos esses profissionais inicialmente em um processo de brainstorm. Essa diversidade e riqueza de conhecimentos – técnicos e comportamentais – fez com que tivéssemos muitas ideias sobre novos processos e produtos. Depois, conduzido por mim e pelo assistente de projetos da Olhar, Lucas Rufino, aplicamos o método 6-3-5. 

O Método 6-3-5 | Brainwriting

O método 6-3-5, ou Brainwriting, foi desenvolvido pelo professor alemão Bernd Rohrbach, tendo como objetivo encontrar 108 ideias em 30 minutos. É uma forma de estruturar o brainstorm. E como isso é possível? Na base da técnica, seriam 6 pessoas, escrevendo 3 ideias no papel, em 5 minutos. Com seis rodadas – ou seja, em 30 minutos, em que um bloco de ideias passa para o colega do lado (podendo ser incrementada), nós teríamos 108 novas ideias disponíveis. 

No nosso caso, adaptamos a metodologia para o número de pessoas no comitê e a unimos com o uso de post its, canetas coloridas e grandes papéis, que deixa tudo um pouco mais lúdico e incentiva a criatividade e sintonia entre o grupo. Fizemos a condução e o uso desse método, pois ele tende a evitar as falhas originadas no brainstorm, focando no real interesse dos negócios, que é ter ideias de qualidade, onde todos realmente participam.

Nós acreditamos que a inovação está dentro das empresas. Essa metodologia e todas as ações onde se faz acontecer essa integração, cria um ambiente favorável para a colaboração, que transforma e potencializa a inovação. Além, claro, de gerar um clima de pertencimento e realização, essencial para negócios perdurarem.

E você, como trabalha a inovação dentro da sua empresa?

Até a próxima.

Christian Machado

Referências de pesquisa: Resultados Digitais, Neil Patel e Rock Content.
Imagem de capa: unsplash @pperkins.